quarta-feira, 23 de dezembro de 2009


Não pude evitar
Tirou meu ar, fiquei sem chão.

(Malemolência - Céu)

E quem disse que eu resisti? E quem disse que eu quis resistir?
Pro teu amor eu só tenho meus braços abertos, meu melhor sorriso e meu coração! Pro teu amor tenho as minhas mãos, a minha dedicação, o meu ouvido. Tenho os passos meus ao lado dos teus. As horas, os dias, os meses e os anos que ainda viveremos. Pro teu amor eu tenho a minha vida, tens a mim, por inteira!

[Vanessa Moreira]

PS.I: Eu não canso de agradecer a Deus pela bênção que é te ter ao meu lado.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Você nasceu para iluminar, para brilhar, para ser luz.


Porque eu te amo, eu te quero bem...
(Não quero dinheiro - Tim Maia)


Meu parabéns pra você é um sorriso enfeitado de amor. Um sorriso que te fale todo o bem querer não só desse dia, do ano inteiro, de toda a vida.
Dizer que desejo pra você o que há de melhor é pouco, quero mesmo é estar do teu lado e te ajudar a realizar cada sonho, cada meta...


Feliz aniversário, Amor!


PS.I: Eu tenho tanto pra lhe falar, mas com palavras não sei dizer... Como é grande o meu amor por você!
PS.II: Obrigada por existir, por fazer parte da minha vida e por deixar eu fazer parte da tua.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009


Nem quero ser estanque
Como quem constrói estradas e não anda
Quero no escuro como um cego tatear estrelas distraídas...
(Minha casa - Zeca Baleiro)


Em certos momentos, como esse, falar estraga toda a magia.
Então, só peço licença e sigo. Pois a beleza do amanhã está na incerteza.

[Vanessa Moreira]


quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Tatuagem? Tenho, tenho sim!


No intervalo entre uma aula e outra é hora de tentar relaxar, de tentar distrair e esquecer um pouco da pressão. Nesse momento os corredores ficam cheios, os mais variados assuntos vem à tona, as gargalhadas são mais vistas e a alegria é compartilhada.
Falávamos de tatuagens, da dor que deve se sentir quando são feitas e dos arrependidos que por imaturidade as fazem sem pensar nas conseqüências. E alguém disse que estava com hora marcada no tatuador pra fazer a tão sonhada tatuagem. Eis então que me perguntam:
- E você? Tem tatuagem?
(sem exitar, respondi prontamente)
- Tenho, tenho sim.
(e apontando pro local destinado ao músculo vermelho que pulsa, acrescentei)
- É o nome dele que tenho gravado aqui. Do lado de dentro.

[Vanessa Moreira]

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Sobre o dia que não terminou


Eu queria ter tido tempo...
Quem sabe eu possa ter uma boa oportunidade novamente, muito embora eu saiba que o momento - único, ímpar - esse não volta. Quem sabe um dia os dias voltem, ou não.
Tempo, tempo mano velho ♪, por que te culpo tanto? Intangível, inelástico, abstrato tu és. Mas insisto em te jogar a culpa, em te julgar réu. Te culpo pelas minhas escolhas, pelos meus afazeres... Te culpo por uma porção de coisas que não são tua culpa.
Mas essa madrugada foste tu, companheiro, quem me abriu os olhos. E lamento não ter te ouvido antes. Disseste com tua voz pesada e com a mão sobre os meus olhos que domingo à noite não é hora de estudar, que as primeiras horas da segunda feira deveriam ser inconscientes - no aconhego da cama, num sonho bom - e não na frente de um computador pesquisando, lendo, decorando e aprendendo pouco sobre diuréticos osmóticos. E nas vezes que fechei os olhos, mano velho, tu me acordaste pra lembrar que ainda faltava muito... Que não era hora de descansar!
Contudo, digo que o dia não teve fim não pela minha noite em claro, não pelas horas não dormidas... Mas pelo que faltou ser dito ontem à noite. Those sweet words...



[Vanessa Moreira]

PS: Posso dizê-las hoje depois de termos a conversa que deveria ter acontecido ontem?

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Da conversa de ontem à noite.


Me acolhe, me acalma

Em teus braços macios
(O que é que há? - Fábio Jr.)


Eu fiquei deveras cativada por essa tua doçura irrefrável. Pela tua gentileza e por tu, moço dos olhos pretos, ser lindo de janeiro a janeiro, de inverno à verão, do nascer ao pôr-do-sol. Por saber encantar até na hora mais doída do dia: a partida.
Aquela hora em que sentimos o final do dia se aproximar e temos que nos preparar para o "boa noite" e para o "até amanhã". Aquela hora em que temos de ir pras nossas casas (você pra sua e eu pra minha). E tu, com toda tua amabilidade e delicadeza, dizes como será bom quando morarmos na mesma casa, assim não teremos que nos despedir no fim do dia.
E eu, com os olhos cheios d'água, acrescento que será maravilhoso compartilhar o mesmo endereço que tu.

[Vanessa Moreira]

PS.I: Moço, moço, moço... Não sabes o quanto me fazes feliz!
PS.II: Se o meu coração pudesse falar ele, certamente, diria teu nome!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Simples e sucinto


A moça-borboleta, que antes voava sem rumo, que pousava mas não se prendia aos jardins, hoje só tem um rumo. Só tem uma direção. Só voa pros teus braços!

[Vanessa Moreira]

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Hoje, Roberto fala por mim...


A idéia era escrever um texto simples e direto sobre tudo aquilo que já te disse e ainda digo. Sobre as minhas frases repetitivas e, principalmente, sobre as minhas redundâncias. Mas uma melodia tocando, incessantemente, na minha mente não deixa:

Eu não me acostumo sem seus beijos
E não sei viver sem seus abraços
Aprendi que pouco tempo é muito
Se estou longe dos seus braços
E por isso eu te procuro tanto
E te telefono a toda hora
Pra dizer mais uma vez "te amo"
Como estou dizendo agora
(Eu te amo tanto - Roberto Carlos)

[Vanessa Moreira]

PS: Hoje deixei Roberto falar por mim, mas isso não quer dizer que eu não vou sussurrar essas três palavrinhas no teu ouvido no fim do dia.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Baixinho no teu ouvido, antes de dormir...


Gosto tanto de dias assim: em que eu já acordo disposta pra fazer algo diferente. De escrever algo, de ler algo novo, botar a mão na massa e fazer o jantar. O teu jantar, o nosso jantar. Nessas horas eu imagino como será feliz o dia em que tu, ao chegar cansado do trabalho, terá à tua espera um jantar pra dois feito por mim!

[Vanessa Moreira]

A inércia de algumas pessoas me estressa!


Prefiro as pernas que me movimentam

(A letra "A" - Nando Reis)

A vida parasitária que levam alguns é irritante. É certo que somos seres condicionados - condicionados a nós mesmos e, mais fortemente, aos outros. Mas uns abusam! Ao ponto de terem por hobbie "fazer-absolutamente-nada". É melhor ficar em casa esperando a oportunidade bater à porta que sair e encontrá-la. É melhor abster-se do trabalho porque certamente aparecerá alguém que o faça. Sobrecarregar o outro é melhor que ajudá-lo. A calma da cama é melhor que o sol da manhã. Eu realmente não entendo porque as pessoas agem assim!
Essa inércia me tira do sério. Custa fazer a sua parte? Custa evoluir? Custa lutar pelo SEU futuro? Acorda! A vida está aí, só esperando pra que você a viva! Mexa-se, estica as pernas, sai dessa atmosfera, respira novos ares. Wake up and live, now!

[Vanessa Moreira]

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Eu bem sei o que é amizade


A menina que conheci há 8 anos hoje é uma mulher. E que mulher! Após tanto tempo de convívio, imaginar minha vida sem as horas de sorrisos, de confidências, de companheirismo, de diversão, de alegria e de tristeza, é impossível. Tive e tenho motivos de sobra pra agradecer a Deus, por ter te colocado - anjo meu - na minha vida! Algumas pessoas acham incrível essa nossa capacidade de entender a outra só de olhar. De saber o que se passa, como se sente, mesmo sem nos vermos com a frequência de outrora.
Ah! e como eu sinto falta de te ver todos os dias, de sentar do teu lado e assistir aula. Dos jogos de futsal na quadra do colégio... De lanchar contigo todo dia às 10:00. Do nosso "lugar" debaixo da escada. De voltar pra casa contigo e de pegar o caminho mais longo só pra prolongar os minutos ao teu lado. Das tardes na tua casa ou na minha, dos filmes com pipoca, brigadeiro de panela e morangos. Eu sinto falta de uma porção de coisas, mas tenho saudade mesmo é de ti. Uma saudade que vez por outra nós insistimos em matar - antes que ela nos mate. Culpa do tempo - ou melhor, da falta dele - que não dos deixa juntar horários... Que não entende que o teu horário de estágio tem que ser no mesmo horário que o meu, que o meu horário de folga tem que ser no mesmo do teu. Esse tempo não tem sido bom conosco.
Inevitavelmente, fico tão triste por não poder te ver hoje... Mas tu, como sempre, me entende. Diz que eu tenho mesmo que estudar, me formar e te chamar pra festa de formatura. E é incrível que mesmo depois de tanto tempo eu ainda me emociono com essa tua compreensão. Queria muito poder te dar um abraço hoje, e dizer "Feliz-aniversário-minha-melhor-amiga" e deixar que tu visse em meus olhos a minha alegria por estar perto de ti. Os trabalhos não são infinitos, uma hora há de acabar. E poderei em fim, ter uma tarde feliz contigo! Em que poderemos reviver histórias e sorrisos sem nos importar com o horário de voltar pra casa.
Por termos asas eu - borboleta - e tu - abelha - seguimos o instinto de voar longe e descobrir novos horizontes. Mas ao perceber o mundo estranho demais aos nossos olhos, voltamos pra casa para que no aconhego daqueles que nos amam criemos forças suficientes para retornar ao mundo no dia seguinte. Parabéns pra você, nesta data, minha amiga! Tu sabes que comigo podes contar sempre. Sei que já te disse isso uma vez, mas reafirmo: Diria tudo o que te disse, oas prantos, naquele sábado de retiro das oitavas séries em 2003 novamente, só que com mais lágrimas! Eu te amo. Sempre!

[Vanessa Moreira]

PS.I: Para uma borboleta, não há amiga melhor que uma abelha!
PS.II: Quarta ou quinta, eu bato asas praí. =)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Fico devendo...


Eu sou péssima desenhista, péssima artesã, péssima com trabalhos manuais de modo geral. Não sei fazer, barcos nem chapéu de papel, bonequinhos de bisquit, rosas com canudos e papel crepom, decoração de qualquer tipo... No máximo, faço cobrinha com massa de modelar!
Mas é bacana ver que um trabalho sai bem feito quando a causa é nobre e a vontade é sincera. E eu que não sou lá essas coisas, consigo fazer uma caixa com fotos pra presentear o moço do sorriso mais bonito que eu já vi.
Eu sei, eu preciso treinar minhas habilidades motoras... Afinal, ainda te devo um coração feito de canudo!

[Vanessa Moreira]

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Wish you were here ♪


A vida é feita de pequenos nadas

Que agente saboreia, mas não dá valor
Um pensamento, uma palavra, uma risada
Uma noite enluarada ou um sol a se pôr
Um bom dia, um boa tarde, um por favor
Simpatia é quase amor
(Tás a ver? - Gabriel, o Pensador)

Tive uma tarde especial hoje.
Não que as outras tardes não seja especiais também, mas é que hoje foi diferente. Com sorrisos, boas amigas, água de coco, o solo de Scar Tissue tocando incessantemente na minha mente e uma terna troca de gentilezas por mensagens de celular. Boa essa sensação de desligar-se de tudo em plena quinta feira. De sair de casa no início da tarde pra encontrar pessoas dispostas a compartilhar bons momentos, gargalhadas e histórias engraçadas. Sinto-me renovada. A disposição que eu tanto buscava encontrei de frente pro mar. Revigorei! Foi bom, foi muito bom.
E algo na tarde me chamou atenção: o par de cadeiras com um único guarda-sol. Qual o motivo de estarem ali, sozinhos, no meio da areia? Foi inevitável fitar, por alguns minutos, àquela direção. E depois de pensar um pouco percebi que era mesmo coisa divina, Deus estava a me lembrar que faltava alguém. E mesmo ausente, Ele tinha preparado o teu lugar (o nosso). E pensou em tudo, até no único guarda-sol, pra que tu não core além do necessário e pra que eu conserve minha "pretinhosidade".
E ao receber tua mensagem percebi que tu também sentia. Naquele momento eu desejei o mesmo que tu: Wish you were here ♪.

[Vanessa Moreira]

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Se a confiança te falta, segue sozinha se assim te apetece.

[texto de 2006]

Adeus você (...)
Eu tô levando tudo de mim que é pra não ter razão pra chorar (...)
Adeus você
Não venha mais me negacear
Teu choro não me faz desistir, teu riso não me faz reclinar.
(Adeus você - Los Hermanos)

Às vezes você ganha, às vezes você perde. É a lei natural da vida.
É estranho perceber que é necessário poucos segundos pra se desfacelar contruções de meses e meses. Que mesmo depois de tanto tempo de convívio não se consegue conhecer por inteiro as pessoas. Que as pessoas mentem - e fazem isso constantemente. Que você, inevitavelmente, se decepcionará com as pessoas. Mas vai ser bom: decepções costumam ser divisores de águas.
Será necessário viver para que aprendas isso, menina! Você vai aprender que tudo depende do há dentro de ti. Do tamanho daquilo que chamam de amor-próprio e da grandeza do sentimento desprendido.
Haverão ocasiões em que a perda não te impactará (como esta que agora vives, menina!) . Em outras, a dor no peito será tamanha que tu te julgará fraca para suportá-la. Tu avaliarás isso pelo volume de lágrimas saído dos teus olhos. Você, menina, ainda tem muito que ver, viver e aprender. E se continuares assim (firme, dura e decidida - quando assim convir) creio que saberás lidar com o que te aguarda pela vida. Ah menina, não te importes com o que os outros vão pensar... Não dê bola pros pensamentos alheios. Tu, mais do que os outros, sabes o que é melhor para ti.
Se a confiança te falta, segue sozinha se assim te apetece . Mas não te esqueça de colocar um ponto bem grande no final - pra não restar dúvidas a quem quer que seja. Vire a página, marque dois centímetros a partir da margem e escreve uma nova história (e desejo, que desta vez, tu não tenhas que pôr um ponto final!) Vá menina, vá! Viva e seja feliz!

[Vanessa Moreira]

PS.I: Hoje eu tive paciência pra digitar um texto antigo. Paciência ou preguiça de criar algo novo?

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

(en)canta!


Sabe o que eu acho bonito?
O nascer do sol. A cor do céu num dia ensolarado. A felicidade de um criança quando ganha o presente que tanto queria. A chuva fina num fim de tarde acompanhada de um arco-íris. Risadas com covinhas. Pôr-do-sol. Os solos de gaita do Bob Dylan. A cor das folhas das árvores num sítio no meio do mato. Amizade verdadeira. Corações em lugares incomuns [como o da foto!]. As poesias do Walt Whitman. O "doar-se" a alguém. A solidariedade. As cores de Frida. Um abraço sincero. Um beijo apaixonado. Casais de velhinhos falando com amor de seus cônjuges mesmo depois de uma vida inteira juntos. A voz da Norah Jones acompanhada somente do piano. A voz da Joss Stone. As mil cores de uma borboleta [não poderia faltar!]. Fotos em preto e branco. Me encanta o canto dos pássaros no começo da manhã. O movimento das ondas no mar. Acho bonito uma porção de coisas, mas dentre tantas belezas nada me hipnotiza, me cativa, prende mais a minha atenção do que a beleza que emana de ti.

[Vanessa Moreira]

PS.I: Vontade de abraçar, beijar e sentir o teu cheiro.
PS.II: Te amo, muso inspirador!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Passividade educacional? Não eu!


Essa semana fui incitada (para não dizer obrigada) a ler "Pedagogia da Autonomia" de Paulo Freire. Com tantas coisas pra fazer, tantos trabalhos, tantas provas ainda tenho que ler um livro chato! - pensei eu. Mas que fatídico engano. Certamente este livro ficará registrado na minha memória como um dos mais iluminadores e enriquecedores que já li. Instiga o leitor a relembrar passagens de sua vida, acontecimentos que se confundem ora com o que o autor diz, ora com as experiências particulares de cada leitor. Mas falemos, então, do conteúdo da obra e daquilo que mais me cativou...
Paulo Freire, como educador que fora, sempre esteve preocupado com a formação da criticidade de seus alunos. Durante toda sua vida publicara obras referentes à essa temática, buscando atingir tanto discentes como docentes - e tentando encaminhá-los para um crescimento e desenvolvimento do senso crítico. A obrigatoriedade da leitura desta obra e as descobertas a partir desta fizeram o sentimento inicial de repúdio se transformar em prazer, em gratificação.
Freire, insiste na máxima de que educar é construir. É dar meios para a liberdade do ser humano preso em si e nas imposições sociais. E o autor, frequentemente, reafirma que educar não é transferir de conhecimentos, não é vomitar conteúdos, mas sim conscientizar.
Mas quantas e quantas vezes, no decorrer da formação educacional nós nos deparamos com professores exatamente desse tipo? Que entendem o ato de ensinar como repasse de frases feitas!? Professores que quando questionados não respondem satisfatoriamente, mentes mecanicistas que não incentivam o aluno a aventurar-se no novo, no desconhecido. Freire diz que esse tipo de educador que "castra" a curiosidade do aluno priva a liberdade do mesmo. E dessa forma não forma, domestica! Ensinar é criar possibilidades para a construção e desenvolvimento do conhecimento.
Ressalta que não deve mais haver o estereótipo de que o professor é aquele que detém o conhecimento e o aluno é o que, sedento de ensino, somente ouve. Não há como distanciar educador e aprendiz, ambos são sujeitos do processo. Docência sem discência inexiste, pois os seus sujeitos e objetos se encontram e se completam. De maneira que se pode dizer que quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. Ambos os sujeitos conhecem o mundo e configuram-se como seres capazes de intervir neste.
O ensino, também segundo a visão de Freire, não é automático. A configuração de ensino não é alicerçada no entendimento das palavras proferidas pelo professor e sim pelo aprofundamento destas - pela busca, pelo querer conhecer mais, pelo pesquisar. "

"Ensino porque busco, indaguei, porque indago e me indago."
(Paulo Freire)


Professores e alunos devem se assumir como seres sociais e históricos, pensantes, criadores e transformadores. Seres críticos. Convivendo de forma harmônica num ambiente onde a rotulação do que é certo e errado não exista. Professores não são partidos políticos, devem ensinar aquilo que lhes cabe e primar pela formação moral-crítica do aluno atuando como facilitadores da metamorfose da ingenuidade para a criticidade. A questão chave é a assunção dos papéis de ambas as partes, concomitantemente, de maneira que a evolução do conhecimento seja observada nas duas pontas da corda - para que o cabo de guerra fique equilibrado.
E em meio às pertinentes afirmações de Paulo Freire, eu me vejo como produto do meio termo. Fui e ainda sou produto de professores mecanicistas, que não incentivam a pesquisa. Mas também, felizmente, pude conviver com professores-mestres (no sentido etimológico da palavra). Professores que não se contentavam com o pouco, o básico, o que todo mundo tem.
E agora produto do meio termo? Prefere ser mecanicista ou crítica? Prefiro a criticidade, mesmo ainda sendo auxiliada por professores-que-só-reproduzem-frases.
Educação não deve ser entendida somente como um direito - onde o aluno espera sentado confortavelmente em seu lar os conteúdos chegarem mastigados e prontos para serem decorados -, deve-se aprender que educação é também um dever individual. Eu, você, o padeiro, o médico, o lavrador, a cozinheira, Bill Gates, o gari, o frentista - todos nós - devemos ser ativistas da nossa educação. Indague, discorde, queira saber mais e, principalmente, cresça com o que descobrir!

[Vanessa Moreira]

P.S.:Espero que você - assim como eu - tenha gostado das idéias de Paulo Freire. E se possível, leia o livro! Vale cada página! Fica a dica! ;)

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O dia é meu, só meu.


Eu não quero mais dormir
De olhos abertos me esquenta o sol.
(Os Cegos do Castelo - Nando Reis)


Dias como esse me deixam tão feliz! Acordar tarde, passar o dia na cama, curtir a preguiça. Nada disso é proibido. Mas eu não quero fazer nenhuma dessas coisas!
Hoje vai ser o MEU dia. Vou deixar um pouco de lado tudo que tenho pra fazer, tudo que tenho pra estudar. As 24 horas foram feitas pra mim. Vou ver, escrever, ler e fazer coisas do meu interesse. Vou cuidar de mim. Exercitar a mente e o corpo.
Amanhã eu volto à rotina, à correria, ao stress. Mas hoje eu tenho o dia inteirinho - só pra cuidar de mim!

Eu cuidarei do seu jantar
Do céu e do mar
E de você e de mim
(Os Cegos do Castelo - Nando Reis)

[Vanessa Moreira]

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

What am I feeling?



Vou ficar aqui, com um bom livro ou com a TV...
(Quando você voltar - Legião Urbana)

Hoje eu acordei "meio-assim-sei-lá". Com um sentimento sem nome, que não é dor e nem alegria. Com vontade de sair e também de passar o dia na cama. E eu que não me atenho a conceitos queria tanto saber o nome do que sinto...

[Vanessa Moreira]

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

- Queres ser o meu pingüim?

* Sobre os pedacinhos que compõem o amor *


Não que eu não goste de avestruz, arara, passarinho do peito amarelo que "futrica" a grama verde em busca de não-sei-bem-o-que, pelicanos que voam alto, garças, dos flamingos com seus tons tirados de telas pintadas à óleo, do beija-flor que namora o lírio que se aquece embaixo do sol, não que eu não sonhe com o bem-te-vi e daquela primeira vez em que vi um no quintal da minha casa, não que eu vire a cara para as andorinhas, que eu fuja das corujas, que eu não quase assovie quando ouço o canto dos pardais.

Mas ainda assim, acima de todos os pássaros tenho predileção pelos pingüins. Eles são elegantes, sempre vestidos de preto e branco. Têm aquele andar simpático, quando se movimentam tombam para os lados. E quando encontram o seu par, são fiéis por toda a vida. E é nesse momento que eu te pergunto:

- Queres ser o meu pingüim (para sempre)?


Natália Anson Lima
{Essa sim é moça escritora!}

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Algum dia quem sabe...



É menina, agradar não é fácil!
Mas um dia você vai crescer e entender que não vai ser possível acertar sempre. Algumas vezes você vai chorar por não ser compreendida, você vai chorar quando tentar e não conseguir despertar sorriso nos outros. Mas desejo que você não se lastime, menina. Algum dia entenderão que você tentou...
E continua tentando.

[Vanessa Moreira]

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Vou lembrar mesmo.


When he steals my heart again and doesn't even know it
Yeah I like little moments like that
(Little moments - John Mayer)


[Da conversa que tivemos meses atrás]

- E ano que vem estaremos aqui de novo, sentados nesse mesmo lugar. No mesmo fim de noite. E tu lembrarás que já estivemos aqui.
- Vou lembrar mesmo! E vou sorrir do mesmo jeito que agora!

[Vanessa Moreira]

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Hoje palavras me faltam

[Consegues olhar o arco-íris que foi pintado no meu coração?]


Some day, when I'm awfully low, when the world is cold
I will feel a glow just thinking of you
And the way you look tonight (...)
With each word your tenderness grows
Tearing my fears apart
And that laugh that wrinkles your nose touches my foolish heart (...)
Yes you're lovely, never ever change (...)
Cause I love you jJust the way you look tonight.
(Rod Stewart - The way you look tonight)

Preciso dizer que não foi por acaso. Que foi Deus o responsável disso tudo.
Não foi o ventinho gostoso daquela noite de oito de abril, nem os zumbidos de uma universidade em intervalo de aula. Tampouco as mangueiras de folhas bem verdes acima de nós... Foste tu quem me presenteou com ternura ao segurar minhas mãos e expulsar a covardia que habitava em mim.
Tenho agora dois corações: um levo comigo e o outro fiz questão de dar a ti (eu quis - e quero - retribuir a felicidade que me deste) .
Foste tu, moço dos olhos pretos, que me disse que o amor é o sorriso que dou quando te vejo. É o brilho dos meus olhos quando deito no teu colo. E é também tudo isso que sinto, mas que não sei descrever. O amor está nos passos que damos (e como é bom ter ao lado dos meus passos os teus) . O amor está em nós.
Peço licença a outra Vanessa para adaptar a sua poesia musicada e dedicá-la a ti:

Entre tantos outros, entre tantos anos
Que benção a nossa, hein?
Entre tantas paixões...
Esse encontro
Nós dois, esse amor!

(Vanessa Mata - Ainda bem)


- Que meu sorriso e meus olhos saibam te mostrar o que eu sinto, porque hoje palavras me faltam. Não sei o que dizer (nem o que escrever!).

[Vanessa Moreira]

PS.I: Parabéns para nós nesta data, querido! =)
PS. II: Um ano e meio é só o começo, temos a vida toda pela frente!


segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Da conversa com Deus


Eu te agradeço Deus por se lembrar de mim,
E pelo teu favor, e o que me faz crescer...
Eu vivo pela fé e não vacilo. Eu não páro, eu não desisto.
Eu sou de Deus, eu sou de Cristo!
Você mudou a minha história e fez o que ninguém podia imaginar
Você acreditou e isso é tudo. Só vivo pra você não sou do mundo,não!
A honra, a glória, a força, o louvor a Deus.
E o levantar das minhas mãos
É pra dizer que te pertenço, Deus!

(Te agradeço - Kléber Lucas)

Maravilhoso.
Que outra palavra descreveria tão bem o meu Deus? Se conhecem, por favor me falem. Preciso dizê-la quando referir-me a Ele. Preciso dizê-la quando ao acordar (e ao deitar) for agradecer por mais um dia, por cada segundo que vivi, por cada pessoa que fez do meu dia um "bom dia"! Ah e como tenho motivos pra agradecer...
Pela vida, pelo carinho que Tens comigo, pela família maravilhosa que Tu me deste, pela saúde, por me fazer mais feliz, por ter me amparado, me sustentado mesmo antes de eu reconhecer Tua infinita bondade e Teu infinito amor. Por perdoar meus pecados. Pelas conquistas, pelas vitórias, por me dar forças pra abandonar os vícios, por me ensinar o que é certo e o que é errado, por perdoar as minhas faltas (que não foram e não são poucas!). Por tudo que já vi e vivi. Pelas pessoas que conheci. Pelos amigos distantes - e pelos próximos também! Pelas pessoas que andam comigo. Por cada segundo que passo e passei com elas.
Pelo presente que me deste. Um presente de olhos bem pretos, que quando sorri fecha os olhos (e que sorriso lindo!)... O presente com cheiro de neném. Com o melhor abraço do mundo. O presente que não sabe o quanto foi e é um presente na minha vida. O presente que sempre será, sempre estará.

Eu não posso te deixar, pois de uma coisa eu sei muito bem:
É a Tua sombra que me guarda
E a tua misericórdia que me sustém
Pai perdoa os meus erros e me ensina a perdoar.
(Não posso te deixar - Kléber Lucas)

Ah Deus meu, não tenho palavras pra descrevê-Lo. Continuarei dizendo que És maravilhoso. Supremo. Único. Não tenho como escrever a maravilha que é Te ter como Senhor da minha vida. Só sei agradecer. E farei isto enquanto eu respirar, enquanto eu existir. Por toda minha vida.
Amém!

[Vanessa Moreira]

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Eu vou deixar.


Eu vou deixar o vento soprar e só escutar o som que ele faz ao passar por mim. Vou deixar as preocupações com a faculdade na sala de aula, as dores de cabeça com o trabalho na sala do chefe, as inquietações com os afazeres de casa na casinha do cachorro. Eu vou me preocupar menos, me concentar mais! Vou descomplicar.
Eu vou deixar de correr tanto e procurar caminhar, quem sabe assim eu consiga ver as coisas que realmente interessam. Dificuldades não serão mais antecipadas, soluções não serão deixadas pra amanhã. O hoje é tão bonito, é tão mágico... E é onde eu posso interferir. Eu vou deixar de ser egoísta e me doar mais.
Vou deixar minha vida correr, seguir seu curso. Eu vou deixar de me ater ao que eu posso conseguir, ao que eu posso conquistar, ao que eu posso ser... Simplesmente serei, conseguirei, conquistarei.
Eu vou deixar de ser tão fraca... Eu sei que sou mais forte que isso! Eu vou deixar hábitos ruins no passado. Eu vou tentar deixar os dias serem menos cansativos e descansar à noite... Vou dormir mais! Vou descartar os vícios e uma parte das coisas nocivas á minha saúde (eu realmente vou tentar!).
Eu vou deixar amigos irem e sei que vou sentir saudade deles (como hoje sinto!)... E as cartas que eu nunca mando? Vou deixar as cartas que eu nunca mando no mesmo lugar! (Algumas delas quem sabe eu poste por aqui...) Não vou pedir pra que as borboletas fiquem, sei que hoje elas preferem não voar pra longe! Teu coração tornou-se um abrigo (o meu abrigo!).
Mas sabe o que eu não vou deixar? Eu não vou deixar de ser quem sou. Não vou deixar de consultar meus princípios, meus valores. Não vou deixar de agradecer cada pequena coisa. Cada grande coisa. Não vou deixar o dia terminar sem ter aprendido uma lição, por menor que ela seja. Não vou esquecer de quem trago comigo. Não vou esquecer dos sonhos que tive (e tenho!).
Não vou esquecer dos planos: dos meus, dos teus, dos nossos!

[Vanessa Moreira]


God, keep my feet on ground and my head in the clouds
I'm the arrow, you're my bow, shoot me forth and I will go
And I know and I go and I go get up and go
Make me feel its for real tell me what you know
(Time of your song - Matisyahu)



quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Ofereço o meu melhor sorriso


Pelas ruas, flores e amigos,
Me encontram vestindo meu melhor sorriso.
(Temporada das Flores - Leoni)


[Da pergunta de hoje de manhã]

- De uns tempos pra cá tenho sentido uma enorme vontade de te perguntar uma coisa... Me responda então moça, qual o motivo do teu sorriso? Porque você sorri dessa maneira?
- Só sei sorrir assim, e assim o faço porque o amo.

E eu que pensava ser triste, hoje só sei ser feliz.

[Vanessa Moreira]

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Ah se eu pudesse...


Como seria bom se eu pudesse te guardar numa caixinha e te levar comigo pra toda parte... Te guardar naqueles colares relicários em forma de coração pra todo mundo saber a forma e a cor do sentimento que tenho por ti... Ah se eu tivesse uma caixinha de música contigo dentro - seria mágico abrí-la e ouvir tocar aquela musica que me lembra você. E que grande sorriso eu daria se em meio a uma aula chata eu te tirasse da bolsa só pra rever os olhos que tanto me encantam... Ah se eu pudesse...
Mas eu posso. E já te guardo! Já te tenho comigo 24 horas por dia. Já te guardo num relicário em forma de coração (no relicário que eu te dei a quase um ano e meio atrás) . E quem não sabe a forma e a cor daquilo que sinto é só porque ainda não teve a oportunidade de ver meus olhos quando falo de ti! A música que me lembra você toca na jukebox da minha cabeça sempre que eu sinto tua falta. E em meio a uma aula chata eu posso te ver: é só abrir a carteira e lá estarão as tuas fotos.

E só de pensar eu suspiro.

[Vanessa Moreira]

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Acordar é complicado, dormir é mais difícil ainda...


Cansaço.
Sete letras e muito peso nas costas, nas pernas e na cabeça. Textos, textos, textos... Trabalhos, trabalhos, trabalhos... Wanda Horta, Descartes, Potter, Perry, Guyton, Hall, Trabulsi, NANDA... Eu gosto, eu quero aprender. Mas cansa!
Já quis desistir, já quis jogar tudo pro alto... Já quis abandonar tudo! Já quis e hoje já não quero! Só uma ou duas noites, só uma semana. Eu sei que vale todo esse esforço! Sei que algo no futuro vai ser melhor do que agora é. Eu sei e quero isso pra mim. Para o alto e avante! (Mesmo com olheiras.)

A noite foi tão longa. Parece que eu não ia suportar. (...)
Problemas todo mundo tem... Às vezes a gente perde o chão.

Não vou desanimar, não vou deixar de sonhar, não vou deixar de acreditar.
Deus sabe o que é melhor pra mim, conhece os meus segredos.
Deus sabe o que é melhor pra mim, me livra dos meus medos.
Deus sabe o que melhor pra mim, cuida do meu coração
A minha vida Te pertence, eu estou seguro em Suas mãos.
Eu não estou aqui por acaso, eu não nasci em vão.
Minha vida tem um propósito, uma missão!
(Hoje - Quatro por Um)

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Tristeza dói, mas passa!


Hoje não dá,

Vou consertar a minha asa quebrada e descansar!
(Os anjos - Legião Urbana)

A armadura que antes me protegia não existe mais. Aquele metal pesado, frio, duro, impenetrável que me blindava de sentimentos ruins tornou-se menos espesso que uma folha de papel. O coração de pedra já não tenho também! Hoje os sentimentos me chegam com calibragem máxima. Se eu sorrir é porque assim o quis, porque sinto-me feliz. Se chorar é porque, de igual maneira, sinto-me triste.
Por um único momento seria bom ter de volta a armadura, o metal e o coração de pedra, pra não sentir, pra não fazer diferença. Mas quando me soltei das ataduras do mundo e segurei tuas mãos, esses obstáculos desapareceram quase que instantaneamente. Se quis tê-los de volta? Quis. Por um momento. Porém, mesmo triste, prefiro ser quem sou agora! Sem obstáculos pra sentir o que quer que seja. Prefiro meu peito aberto!

Depois de algum tempo você aprende (...) que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo (a) de vez em quando, e você precisa perdoá-la por isso. Descobre (...) que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá para o resto da vida. (...) Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, e que algumas vezes, você tem que aprender a perdoar a si mesmo. (...) E você aprende realmente que pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir mais longe, depois de pensar que não pode mais.
(Willian Shakespeare)

Hoje escrever é difícil e até pensar dói. Quisera eu que tudo tivesse sido só um sonho ruim, desses que já não se lembra após uma semana! Só que não foi. Tristeza dói, mas passa! E se eu tiver teu sorriso, teu abraço, teu ombro... Se estiveres ao meu lado, por inteiro, eu sei que passa. Sempre tiveste o meu melhor. E de ti espero o mesmo.

-Eu não soltei da tua mão!

[Vanessa Moreira]